É um desenho animado dos anos 70, sobre as perseguições de uma cobra azul a um besouro japonês.

Emissora: NBC.
Emissora no Brasil: TV Tupi e TVS.
Transmissão Original: de 31 de dezembro de 1972  a 16 de janeiro de 1974.
Duração: 6 minutos.
Temporadas: 1 (16 episódios).
Cores.
Companhias Produtoras: DePatie-Freleng Enterprises.

O Desenho.


Mais uma criação de DePatie-Freleng o desenho A Cobrinha Azul (The Blue Racer) atingiu um grande sucesso, a exemplo de outros títulos da produtora. O desenho foi mostrado originalmente nos Estados Unidos, entre os anos de 1972 e 1974, totalizando 17 episódios.

A dupla de protagonistas debutou na telinha em episódios da série animada Toro e Pancho. O Besouro Japonês apareceu primeiro em “Hop and Chop” (1970) e a Cobrinha Azul apareceu depois, em “Snake in the Gracias” (1971). A personagem rastejante foi baseada na cobra azul (blue racer), um réptil que vive nos EUA, conhecido pela sua extrema velocidade de ataque às suas presas.

O sucesso da cobrinha foi tão grande  que após o cancelamento de Toro e Pancho acabou ganhando seu próprio programa e levou junto o Besouro Japonês.

Embora a animação A Cobrinha Azul não seja muito lembrada, ela foi reprisada nos Estados Unidos em meados dos anos 80, e desde então, não foi mais visto por lá. Acredita-se que o motivo dele ser raramente exibido é devido à caricatura ofensiva do Besouro Japonês (um besouro cuja face tinha o estereótipo de um japonês).

A História.


O desenho mostrava as dificuldades enfrentadas por uma cobra muito esperta e rápida (ela se autoproclamava a cobra mais rápida do hemisfério norte) para capturar sua refeição do dia. Quando saía à procura de comida pelo campo a Cobrinha Azul tinha como alvo principal o teimoso Besouro Japonês (Japanese Beetle), um carismático comedor de flores que era faixa-preta em karatê e que por isso mesmo acabava dificultando as coisas para a cobrinha que terminava se dando mal.

Como se não bastasse ficar sem comer e tomar uma surra do besouro, a Cobrinha Azul ainda tinha que escutar aquele cantarolar irritante, mas que marcou o personagem nipônico : “tolí-tolí-tolááá, a cobla ficou lá”.

 

No Brasil.


No Brasil o desenho estreou no final da década de 1970 na TV Tupi onde era exibido no final de tarde junto com outras animações da DePatie-Freleng. No começo dos anos 80 foi adquirido pela TVS que passou a exibi-lo dentro da sua programação infantil.

A dublagem do desenho ficou a cargo da Telecine que escalou nomes como os de Domício Costa e Carlos Marques para compor os personagens.  Nos anos 90 o desenho foi mostrado pelo Boomerang, conservando a dublagem original.



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin