Emissora: NBC.
Emissora no Brasil: TV Excelsior, TV Bandeirantes, TV Record, Rede Manchete, USA, Canal 21 e Rede Brasil.
Transmissão Original: de 8 de setembro de 1966 a 3 de junho de 1969.
Duração: 50 minutos.
Temporadas: 3 (79 episódios).
Cores.
Companhias Produtoras: Desilu Productions Inc., Norway Corporation e Paramount Television.

A Série.


Criado por Gene Roddenberry, o futuro fictício de Jornada nas Estrelas engloba quatro séries para TV, oito filmes para cinema e centenas de livros, embora as histórias escritas para livros não sejam consideradas parte “oficial” da série. A série original, lançada em 1966, é um sucesso televisivo inquestionável, um verdadeiro fenômeno da cultura americana que conquistou mercados no mundo todo e criou os chamados trekkers, pessoas que amam a série e colecionam ou sabem tudo a respeito de Jornada nas Estrelas.

Mas o sucesso de Jornada nas Estrelas não foi uma coisa imediata. Na verdade, o seriado jamais atingiu uma audiência que agradasse a emissora e, por causa disso, esteve diversas vezes ameaçado de cancelamento. Nesse momento, a ação dos primeiros trekkers foi de fundamental importância. Uma grande fã da série na época, Bjo Trimble (agora conhecida como “mãe do movimento trekker”), entrou em contato com autores de ficção científica e outros admiradores e juntos iniciaram a chamada campanha de “um milhão de cartas para salvar Star Trek”.

A NBC teve de ceder à pressão de uma camada da audiência que não se traduzia em números significativos e sim em qualidade, mas ao mesmo tempo boicotou a série, reduzindo as verbas de produção, o que comprometeu a qualidade dos episódios, e a reprogramou para um horário ingrato, que decretou de vez seu fim. Só que isso, ao invés de relegar a série ao esquecimento, fez com que ela entrasse para a história.

As constantes reprises do seriado, a ida do homem à Lua e o advento da Era Espacial, que despertaram o interesse dos americanos pelo tema, fizeram com que Jornada nas Estrelas cada vez mais fosse descoberta como a precursora de uma filosofia. Ao longo dos anos 70, convenções reunindo milhares de fãs multiplicaram-se pelo país, os primeiros livros amadores começaram a ser publicados e a primeira vitória do movimento de reivindicação dos fãs veio sob a forma de desenhos animados baseados na série.

A História.


A história da série inicia-se no século XXIII, quando o planeta Terra tem um único governo. Todas as guerras e conflitos territoriais, raciais ou religiosos foram superados, problemas como a fome e o desemprego foram resolvidos. A medicina, altamente desenvolvida, e ao alcance de todos os habitantes, é capaz de prever e curar praticamente todas as doenças conhecidas. Politicamente o planeta é parte da Federação Unida de Planetas, e as disputas por território e hegemonia acontecem no espaço, dividido em quadrantes, com a Terra localizada no quadrante Alfa.

Os principais aliados dos terráqueos são os Vulcanos, o primeiro povo alienígena a fazer contato com a Terra. Primam pela lógica e controle das emoções, explicando que esta filosofia de vida os salvou de um passado violento. Sua característica física mais marcante são as orelhas pontudas. Spock, o primeiro oficial da Enterprise é o vulcano mais conhecido em Jornada nas Estrelas.

Entre os inimigos mais importantes estão os Impérios Klingon, uma raça guerreira que dão enorme valor à honra adquirida em batalha e aos feitos gloriosos em guerra; e Romulano, primos distantes dos vulcanos que apresentam as mesmas características físicas, mas não seguem a filosofia da lógica. Os Romulanos empreendem constantes campanhas militares para assumir novos territórios.

A entrada da Terra neste cenário se deve principalmente à invenção, em 2063, do motor de dobra, que tornou as naves espaciais capazes de velocidades superiores à da luz, possibilitando viajar entre os sistemas planetários. O trabalho de exploração e defesa em nome da Federação é feito pela Frota Estelar, um corpo de oficiais cuja hierarquia segue os postos da marinha. A carreira na Frota inicia-se com um curso de formação na Academia da Frota Estelar. A mais famosa nave da Federação é a Enterprise, cuja vida é o enfoque principal de Jornada nas Estrelas. O mesmo nome é aplicado a diversas naves, já que, a exemplo dos navios, são feitas reformas e substituições em caso de destruição total. A partir da segunda nave, lançada em 2286, uma letra passa a acompanhar o nome.

No que é hoje conhecido como a Série Clássica e nos sete primeiros filmes para o cinema, a Enterprise é comandada por James Tiberius Kirk, o mais jovem oficial a assumir o posto de capitão em toda a história da Frota Estelar, que é conhecido por seu modo de agir arrojado e pela quantidade de mulheres que namorou; Spock é o primeiro oficial da Enterprise, filho de um vulcano e uma terráquea, deixou a carreira na Frota pelo trabalho de Embaixador. Foi visto pela última vez trabalhando pela reunificação Vulcano-Romulana.

A tripulação é completada por Leonard McCoy (Magro) – oficial médico; Montgomery Scott (Scotty) engenheiro chefe; Tenentes Sulu (leme), Uhura (comunicações) e Alferes Chekov (navegador). Com essa tripulação a Enterprise segue pelo espaço em uma missão de 5 anos, com um contingente de cerca de 400 tripulantes, para explorar novos mundos e ajudar colônias da Federação Unida de Planetas. Sob a Diretriz Primeira, de não interferência no desenvolvimento das civilizações visitadas, os exploradores se defrontam com incríveis raças desconhecidas, sendo muitas vezes ameaçados por seus inimigos.

No Brasil.


A série estreou na televisão brasileira em 1967 sendo levada ao ar pela TV Excelsior às quintas-feiras no horário das 22h. Em 1969 chegou a ser apresentada pela TV Bandeirantes diariamente às 20h, local onde ficou até 1970.

Depois de dois anos fora da programação brasileira a série voltou em 1972, dessa vez pela TV Record que começou mostrando Jornada nas Estrelas às 4h da manhã. Ficou na Record até 1973 e no ano seguinte começou a ser apresentada pela TV Tupi às 16h30 diariamente, de segunda à sexta, onde permaneceu no ar até 1975.

Em 1982 a série retornou à programação no Brasil novamente pela TV Bandeirantes, onde ocupava diariamente o horário das 17h e em 1983 o das 20h30.

Quando a a TV Manchete trouxe o seriado de volta em 1991 precisou redublá-lo por conta da perda da dublagem original quando a distribuidora Brás Continental encerrou suas atividades anos antes. A nova dublagem foi realizada pelo estúdio carioca VTI. Na ocasião apenas as duas primeiras temporadas de Jornada nas Estrelas foram redubladas, devido a crise que a Manchete passava. Na emissora passava no horário de series enlatadas de ficção científica Sessão Espacial, onde era apresentada às segundas, quartas e sextas-feiras. Na ocasião as outras séries apresentadas junto com Jornada nas Estrelas foram: Galáctica (terça), Buck Rogers (quinta-feira) e Jornada nas Estrelas – Nova Geração (sábado).

Em 1997, quando foi exibida pelo canal a cabo USA a terceira temporada foi redublada mas todo o elenco de vozes foi alterado, exceção de Márcio Seixas como uma das vozes do Sr. Spock.

Em 2004 foi exibida pelo Canal 21 e anos mais tarde passou pela Rede Brasil.



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin