Emissora: CBS.
Emissora no Brasil: Rede Globo, TV Record, SBT, TV Bandeirantes e Nickelodeon.
Transmissão Original: de 24 de setembro de 1964 a 12 de maio de 1966.
Duração: 25 minutos.
Temporadas: 2 (70 episódios).
Preto e branco e Cores.
Companhias Produtoras: Kayro-Vue Productions e Universal Television.

A Série.


A fórmula da “família” em sitcoms americanas rende até hoje boas histórias. Mas quem poderia imaginar o resultado ao se reunir os monstros que assustaram o público na década de 30 e colocá-los juntos como uma família normal? A ideia foi de Joe Conelly e Bob Mosher. Eles mostraram o argumento à CBS que deu sinal verde para a produção.

Em 1963 foi desenvolvido um episódio piloto denominado “My Fair Munster” que foi apresentado ao estúdio, mas nunca exibido por nenhuma emissora, estrelado por Joan Marshall e Happy Dennan, com aproximadamente 15 minutos de duração, que não agradou os dirigentes do estúdio. Em 1964, outro piloto com o mesmo nome foi produzido, convidando as atrizes Yvonne de Carlos e Butch Patrick. Este piloto também nunca foi exibido, mas abriu as portas para a produção de série semanal.

Ao ficarem sabendo que a ABC tinha também um projeto similar nas mãos, os executivos da CBS tentaram fazer com que a série estreasse antes, o que não aconteceu: Os Monstros estrearam nos Estados Unidos seis dias depois da Família Addams, em 24 de setembro de 1964.

Apesar de Os Monstros ter tido um orçamento considerável para a pré-produção na época, acabou enfrentando uma forte restrição aos gastos no decorrer da série. Limitada a apenas uma câmera e com poucas cenas externas, o seriado primava pela maquiagem dos personagens: uma torturante maratona de mais de três horas. Mesmo sendo produzido em preto e branco, os atores tinham o tom da pele modificado. Por causa da maquiagem excessiva, os pais de Billy Mumy recusaram o convite para que o filho dele fizesse o papel de Eddie Monstro. Mais tarde, o garoto interpretou Will Robinson em Perdidos no Espaço.

Os personagens contavam ainda com roupas exóticas. Fred Gwynne, o Herman, era obrigado a usar enormes paletós com forros e botas que pesavam 10 quilos para se tornar um monstro convincente de 2,23 de altura. O calor e o peso das roupas obrigavam a equipe a realizar todas as cenas com Herman na parte da manhã, uma dificuldade já que a maior parte dos episódios giravam em torno do seu personagem.

Da mansão em Mockinbird passando pela decoração interna e pelos carros da família, nada foi esquecido. A grande mansão dos Monstros foi usada em vários filmes da Universal. Com alguns milhares de dólares, ela se transformou na mais lúgubre residência dos estúdios. Mas, na verdade, somente a parte externa existia. Todas as cenas internas eram feitas em estúdio. Algumas relíquias do seriado foram preservadas, como os automóveis da família criados por George Barris, o criador do batmóvel do seriado Batman.

A História.


A família Monstro morava no número 1313 da Mockinbird Lane, em Mockinbird Heights (algo como Travessa da Gralhas, no Monte das Gralhas). Um endereço estranho e que deu muito trabalho aos correios dos Estados Unidos nos anos 60. Afinal, foram milhares e milhares de cartas enviadas para o endereço fictício e que acabavam sendo levadas para a Universal Studios, onde o seriado era produzido.

Era uma família simpática: Herman Monstro (Fred Gwynne), natural da Alemanha, era filho de um certo Dr. Frankeinstein; Lily Drácula Monstro (Yvonne De Carlo), era a esposa devotada, porém num estilo bem diferente de Mortícia, pois era vampira nas horas vagas; Vovô (Al Lewis) era um doce pessoa de 370 anos e também um gênio dos laboratórios – ele tinha um na mansão; o filho do casal era o jovem Edward Wolfgang Monstro (Butch Patrick), conhecido como Eddie, um garoto de 10 anos absolutamente normal se você não ligasse para as orelhas pontudas, os dentes caninos afiados e a pele esverdeada do menino; e finalmente, Marilyn (Beverley Owen em 1964 e Pat Priest de 1964 a 1966), sobrinha de Lily, considerada a ovelha negra da família, mas nem por isso menos amada. A moça era loira, tinha olhos verdes e era extremamente graciosa, ou seja, um horror, tadinha!

Os monstros tinham um carro para toda a família e Vovô era dono de uma, digamos, baratinha, que tinha sobre o chassi um grande caixão. Na verdade, um caixão sobre rodas!

A família tinha também vários animais de estimação que esporadicamente apareciam: um morcego; um gato que em vez de miar, rugia; e um outro animal que vivia debaixo da escada com o nome de Carranca, que era só ouvido e nunca apareceu.

Geralmente as histórias ficavam em torno do espanto que a família provocava nos vizinhos ou em qualquer um que aparecesse para visitá-los. Marilyn, a sobrinha normal, era a que mais sofria por não parar com um só namorado. Os rapazes sempre fugiam desesperados quando conheciam a família da moça.

Os Monstros agiam como se não fossem diferentes. Herman chegou a fazer parte do time de basquete do bairro e só foi aceito por causa da sua altura. Em um episódio, um raio cai na cabeça de Herman e ele se torna um ser “horrível”, ou seja, um ser humano normal vivido pelo próprio ator Fred Gwynne sem maquiagem. Foi a única vez que o ator mostrou o rosto na série. Muitas confusões ficavam a cargo de Vovô, que sempre fazia poções mágicas para ajudar Eddie a ter companhias para brincar ou mesmo arrumar namorados para Marylin. Claro que o tiro sempre saía pela culatra.

No Brasil.


A série fez sua estreia na televisão brasileira pela Rede Globo, indo ao ar às 20h num horário tradicional da emissora que antecedia a telenovela. Ficou no canal até 1969.

Em 1970 começou a ser apresentada nas tardes da TV Record sendo levada ao ar às 14h30. Ocupando vários horários e dias de exibição a série Os Monstros permaneceu na Record até 1974.

Depois de muitos anos fora da programação brasileira a série voltou a ser apresentada em 1989, dessa vez pelo SBT. Deixou de ser exibida na emissora de Sílvio Santos já no ano seguinte e foi resgatada pela TV Record em 1991 onde era apresentada às 17h. Em 1992 foi a vez da TV Bandeirantes investir no programa, mostrando-o nos fins de tarde do canal.

A série foi redublada e remasterizada para a sua exibição pelo canal a cabo Nickelodeon no bloco Nick at Nite em 2005. As cópias atuais precisaram ser remasterizadas, pois os originais que vieram ao Brasil, estavam muito danificadas em imagem e banda de som.

 



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin