Emissora: ABC.
Emissora no Brasil: TV Tupi, TV Record, Cartoon Network e Tele Uno.
Transmissão Original: de 9 de setembro de 1967 a 30 de dezembro de 1967.
Duração: 22 minutos.
Temporadas: 1 (16 episódios).
Cores.
Companhias Produtoras: Jay Ward Productions.

 

O Desenho.


O desenho animado George, O Rei da Floresta (George of the Jungle) nasceu de uma sátira ao eterno herói Tarzan.

A série animada se destaca pelo humor inteligente e absurdo. Estrelado pelo confuso George, o programa era dirigido ao público infantil – nos Estados Unidos era exibido nas manhãs de sábado – mas fez sucesso com os adultos.

Além do Rei da Floresta, o seriado trazia dois outros desenhos: Super Galo e Tom Sem Freio. Cada programa tinha três episódios, um de cada desenho.

Foram produzidos 17 episódios, além de um piloto inédito, cujo tema e cenas de abertura são totalmente diferentes do que passou a ser utilizado. Este piloto nunca foi ao ar, mas foi disponibilizado na caixa de DVDs lançada nos EUA/Canadá.

A História.


Anos atrás, um avião caiu sobre a floresta africana Buê-Buê e apenas um dos ocupantes sobreviveu: um pequeno bebê que acabou sendo adotado por um macaco chamado Garila, que sabia falar! O tempo passou, o bebê cresceu e se tornou George, o Rei da Floresta, um homem-primata cuja burrice supera sua grande força.

O herói é uma versão atrapalhada do Tarzan, vivendo aventuras ao lado de Jane, sua companheira, que ele pensa ser um amigo que não precisa fazer barba. Garila é o amigo gorila, normalmente tem mais noção da realidade do que o próprio George, sendo um intelectual amante dos livros.

George tem um “animalzinho” de estimação, o fiel Panti – um elefante que George acredita ser um cão, também Panti age igualzinho a um, vai buscar gravetos, se coça como um cachorro e até dá a patona. Junto com essa turma está também o valente passarinho Tuc-Tuc, que traz as novidades da floresta, e o Comissário, que convoca nosso herói quando há algum “pepino” a ser resolvido. Seu único problema são as árvores, com as quais costuma dar de cara quando pula de um cipó para outro.

O narrador era o guia e testemunha ocular de tudo o que acontecia na floresta, usando para isso um falsete na voz que divertia ao dialogar com a história.

No Brasil.


No Brasil o desenho chegou no final dos anos 70 pela TV Tupi onde foi exibido até o fim da emissora, passando a integrar por muitos anos o programa Capitão Aza. Em 1984 passou a ser mostrado pela TV Record às 17h.

A dublagem brasileira, feita no final da década de 60 no Rio de Janeiro, é repleta de termos como “a torcida do Flamengo”, “Maracanã” e outras lembranças cariocas.

O desenho foi mostrado ainda entre os anos de 1996 e 1997 no Cartoon Network e no canal Tele Uno, ambos emissoras por assinatura.

O Filme.


Em 1997 George da Floresta foi adaptado para cinema, tentando buscar a linguagem caricata dos desenhos, com um locutor em off engraçadíssimo e com Brendan Fraser no papel principal.

A história do filme conta a reviravolta na vida de George quando ele conhece Úrsula (Leslie Mann), a primeira mulher que viu em sua vida! Ele se apaixona pela jovem, mas terá que enfrentar o ciúme do noivo (Haden Church) da moça. E a situação ficará divertida quando George vai à São Francisco, para ficar com o seu novo amor.

 

A Nova Versão.


No dia 21 de dezembro de 2007 estreou um remake do desenho animado de 1967, utilizando novas técnicas de animação, o Adobe Flash. Esta nova produção canadense é co-produzida pela Studio B Production e apresentada pela Teletoon.

Mais recentemente tem sido apresentado também nos Estados Unidos pela Cartoon Network e no Brasil pela Disney Channel. Esta nova produção, apesar de ser um remake de 1967, possui algumas diferenças, como por exemplo, um episódio consiste tipicamente em duas histórias de 10 minutos, que ao contrário da original que mostrava outros segmentos.



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin