Especial musical infantil baseado na Declaração dos Direitos Universais das Crianças e apresentado pela Rede Globo.

Emissora: TV Globo
Transmissão Original: 6 de outubro de 1987.
Duração: 60 minutos.
Cores.
Companhias Produtoras: Rede Globo.

O Especial.


Criação de Elifas Andreato e Toquinho, texto de Elifas Andreato, com direção de Cininha de Paula e Carlos Magalhães. Elifas Andreato também assinou a direção de arte do especial. Elifas Andreato e Toquinho haviam trabalhado juntos nos especiais infantis A Arca de Noé e A Arca de Noé 2, exibidos pela Rede Globo em 1980 e 1981.

Canção Para Todas as Crianças era um musical infantil, com uma hora de duração, baseado na Declaração dos Direitos Universais das Crianças, aprovada pela Organização das Nações Unidas em 1959.

A equipe responsável pelo programa procurou recriar a atmosfera lúdica dos sonhos e preferiu explorar os cenários e figurinos a usar efeitos especiais.

As gravações foram realizadas nos estúdios da Cinédia, em Jacarepaguá, no Teatro Fênix e no Parque da Cidade, no Rio de Janeiro. Além dos cenários, a produção contou com a maquete de um deserto criada por Ricardo Nauemberg, para simular as aventuras no oásis.

A História.


Na história, um Piloto (José Mayer) caminha pelo deserto em busca de um tesouro: a sua infância. Acompanham-no o irreverente palhaço Gargalhada (Stênio Garcia); a dengosa Cordélia (Marieta Severo); a meiga Tilim (Renata Laviola), conhecedora de todas as estrelas do universo, e Charlito (Lina do Carmo), que mesmo em silêncio é capaz de mostrar alegria. Todos os personagens que seguem o herói do especial são, na realidade, fruto de sua imaginação. Através desses companheiros imaginários, o Piloto lembra de momentos importantes de sua infância.

Ao longo de sua caminhada pelo deserto, Piloto cruza com personagens que simbolizam o mundo real. O primeiro é o Rei (Lima Duarte), um homem preocupado com o poder e as coisas imediatas, que não dá muita atenção às crianças. Logo em seguida, ele conhece Soluço (Antônio Pedro), um homem que representa o fracasso, sem esperança de conseguir ser feliz. O terceiro personagem que cruza o caminho do Piloto é Eu de Mim (Jorge Fernando), um individualista, sem o menor senso de solidariedade.

Já o personagem Eu de Mim vive cercado por Fortuna (Armando Bógus), um homem ganancioso que acha que pode comprar tudo com seu dinheiro. O último personagem a aparecer na história é o Ecoluco (Chico Anysio). Ele surge num oásis, no final do deserto, e procura mostrar para Piloto a importância da natureza na vida de uma criança. Em meio à caminhada do Piloto, sete músicas, criadas por Elifas Andreato e Toquinho, são apresentadas: Deveres e direitos, Gente tem sobrenome, Be-a-bá, Cada um é como é, Errar é humano, Natureza distraída e É bom ser criança.

 



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin