Emissora: TV Cultura
Transmissão Original: de 6 de maio de  1964 a 17 de março de 1965.
Duração: 20 minutos.
Temporadas: 1 (?? episódios).
Preto e branco.
Companhias Produtoras: TV Cultura.

A Série.


Antes do Sítio do Picapau Amarelo de 1977, grande sucesso da televisão brasileira, as aventuras dos heróis de Monteiro Lobato tiveram pelo menos mais uma versão para TV. A primeira versão do Sítio do Picapau Amarelo estreou em 10 de janeiro de 1952 e depois de onze anos de sucesso na Tupi.

Em 1964, o Sítio do Picapau Amarelo foi revivido pela TV Cultura, numa nova produção comandada por Lúcia Lambertini. A atriz e diretora, que já tinha vivido o papel de Emília na primeira versão, resgatou as histórias trabalhadas na TV Tupi, e com um pequeno orçamento conseguiu dar vida novamente aos personagens de Monteiro Lobato. A série foi produzida durante seis meses mas não repetiu o sucesso alcançado na TV Tupi.

No elenco do novo Sítio alguns nomes já conhecidos do público por trabalharem na primeira versão estavam de volta, como a própria Lúcia Lambertini no papel da Boneca de Pano. Mas algumas caras novas também vieram fazer parte do seriado, tais como Edi Cerri, que havia interpretado Peter Pan, agora era a Narizinho, e Roberto Orosco que curiosamente foi a Fada Sininho, agora era o Visconde, Dona Benta por Leonor Pacheco e Tia Nastácia por Isaura Bruno.

A História.


As histórias do Sítio retratavam Dona Benta, uma velha senhora que vivia no Sítio do Pica-pau Amarelo, afastada do barulho e da correria da cidade grande. A preta Tia Nastácia compartilha dessa vida calma cozinhando quitutes para a sinhá e sua neta, Lúcia, mais conhecida como Narizinho.

Vivendo sozinha e tendo apenas as duas mulheres idosas como companhia, a menina Narizinho cria um mundo de fantasias do qual a personagem principal é a sua boneca Emília, feita por Tia Nastácia com restos de pano. Também vivem no sítio o velho Tio Barnabé e seus ajudantes Zé Carneiro, Garnizé e João Perfeito, responsáveis pela manutenção do sítio.

Um dia, Narizinho conhece o Príncipe Escamado, soberano do Reino das Águas Claras, que por coincidência, fica localizado no ribeirão do sítio. O príncipe fica encantado com a menina e a convida a conhecer seu reino. Lá ela é apresentada aos mais proeminentes súditos de sua majestade, como a azeda Dona Carochinha, responsável por administrar os contos de fadas, e determinada a manter o Pequeno Polegar preso em seus livros. Também o Doutor Caramujo, um renomado cientista que dá à boneca Emilia a pílula falante. Depois que ingere o remédio, Emília começa a falar e não para mais.

Durante o período de férias escolares, Narizinho tem como companhia o seu primo Pedrinho, que estuda na cidade grande onde vive com sua mãe. O menino também tem um amigo montado por Tia Nastácia, o Visconde de Sabugosa, feito de uma espiga de milho velha, que também ganha vida. Por ter sido esquecido por um bom tempo nos meios dos livros, o Visconde adquiriu uma admirável sabedoria, tornando-se um intelectual e cientista.



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin