Emissora: Rede Globo.
Transmissão Original: de 22 de abril de 1980 a 9 de novembro de 1984.
Duração: 52 minutos.
Temporadas: 2 (220 episódios).
Cores.
Companhias Produtoras: Rede Globo.

A Série.


A série O Bem Amado foi um dos grandes sucessos da tevê brasileira. Oriunda da telenovela de mesmo nome de 1973, a primeira a cores a ser exibida no Brasil, O Bem Amado conseguiu índices de audiência tão expressivos, que era inevitável que o programa tivesse um retorno às telas. Como o próprio autor afirma a série não era uma continuação da telenovela, embora os personagens e grande parte dos cenários fossem os mesmos. A série escrita por Dias Gomes, estreou no dia 22 de abril de 1980.

O Bem Amado era uma sátira, bem construída e encenada, aos políticos corruptos e a vida cotidiana interiorana. Sua fotografia litorânea, filmada no Rio de Janeiro (mas com uma história centrada na Bahia) era de encher os olhos e seus personagens bem caricatos possuíam uma riqueza de comportamentos que transformava cada um deles numa imortal figura da história da nossa televisão.

O que fazia da série um sucesso tão grande, provavelmente fosse por que Sucupira era um pedaço do Brasil com toda sua variedade e riqueza cultural, Dias Gomes chegou a dizer que sua dúvida era se o Brasil é uma grande Sucupira ou seu microcosmo”.

Uma das marcas de maior destaque do seriado – bem como na novela – era a tipologia popular. O autor concentrou numa cidade do interior figuras representativas de tendências, comportamentos e características comuns a modos de vida presentes em todo o país.

O seriado sofreu vários cortes da censura. Um dos casos de maior repercussão ocorreu em 1982, quando a Divisão de Censura da Policia Federal cortou a seguinte frase de Odorico Paraguaçu: “não tivesse eu jurado fazer de Sucupira uma democracia, mandava botar todos eles num pacote e jogar no mar”.

Eventualmente os cenários do seriado mudavam quando Odorico Paraguaçu viajava para outras regiões brasileiras , sempre em nome de sua intensa atividade política.

Com o falecimento de Janet Clair, em novembro de 1984, Dias Gomes passou a escrever a novela Eu Prometo (1983), com isso a sobrecarga no autor fez com que a série passasse a ser mensal e mesmo assim a Globo pensou em cancelar a série devido a sobrecarga de trabalho à qual Dias Gomes estava sendo submetido. Mas um abaixo-assinado manteve a série por mais um ano. Seu último episódio foi ao ar no dia 9 de novembro de 1984.

 

A História.


A história da telenovela, que teve continuidade na série, girava em torno do Prefeito Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo) e da sua meta administrativa prioritária na cidade de Sucupira, litoral baiano, a inauguração do cemitério municipal. Maquiavelicamente, o prefeito armava tramas para que morresse alguém na cidade, tentando sempre baixar a expectativa de vida em Sucupira, mas era sempre mal sucedido. Nem as diversas tentativas de suicídio do farmacêutico Libório (Arnaldo Weiss), tiroteios na praça, crimes, ossadas encontradas e a chegada do Zeca Diabo (Lima Duarte), um cangaceiro matador, lhe proporcionam a realização do sonho. Bastava Odorico iniciar o seu discurso descomunal e Gracindo dava um show banhado de expressões inexistentes ou difíceis como: “talqualmente”, “invencionices”, “merecedências” e “democradura”.

De um lado o prefeito era apoiado pelas irmãs Cajazeiras: Dorotéa, Dulcinéa, Judicéa (Ida Gomes, Dorinha Duval, Dirce Migliaccio) e seu secretário Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz), lembrado por seu jeito sossegado de falar. De outro, tinha que lutar com a forte oposição liderada por Donana Medrado (Zilka Salaberry), a delegada de polícia e os integrantes do jornal local.

Outro destaque da série era o Cangaceiro arrependido Zeca Diabo que brilhantemente interpretado por Lima Duarte logo foi entrando no gosto popular.

No seriado, o progresso finalmente chega a Sucupira. Com a abertura do regime militar, o autor pôde tirar suas críticas perspicazes e bem-humorada das entrelinhas e abordá-las de forma mais clara. Com isso, tratou de temas difíceis de serem tratados na época da exibição da novela. No episódio “A inflação está morta, viva a inflação”, Odorico Paraguaçu encontra-se em duas situações difíceis. Primeiro recebe uma denúncia de que uma rede de “muambistas, cocainistas e maconhistas”, como o próprio personagem descreve, estava atingindo Sucupira. O prefeito realiza então uma operação “desentoxicante e desintoxicológica”, mas só acha açúcar no carregamento suspeito. Depois Odorico elabora um plano para combater a inflação: aumentá-la para 300%. Decidido a conversar com o Ministro do Planejamento, ele acaba preso junto com Zeca Diabo, depois que os dois forçam a entrada na Câmara dos Deputados em Brasília.

O Filme.


Com direção de Guel Arraes e roteiros do próprio com Cláudio Paiva, foi lançado o filme O Bem Amado em 2010. No filme, após o assassinato do prefeito de Sucupira por Zeca Diabo (José Wilker), uma disputa política entre Odorico Paraguaçu (Marco Nanini) e Vladimir (Tonico Pereira) pelo cargo vago tem início. Odorico vence a eleição e toma posse como prefeito, recebendo sempre o apoio das irmãs Doroteia (Zezé Polessa), Dulcineia (Andréa Beltrão) e Judiceia (Drica Moraes). Uma de suas promessas é construir o primeiro cemitério da cidade, depois precisa encontrar um meio para o cemitério seja inaugurado.



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin